Carrinho de Compras

* Calcule seu frete na página de finalização.

* Insira seu cupom de desconto na página de finalização.

21/08/2021

Kelvin Hoefler é medalha de Prata.

Kelvin Hoefler, Brasileiro de 28 anos, conquista a primeira medalha olímpica em Tóquio para o Brasil no Skate Street, modalidade estreante na competição. Pódio coroa a luta contra o preconceito e marginalização do skate.

Para entendemos o impacto disso, é importante lembrar que, há algumas décadas,  o skate chegou a ser proibido no estado de São Paulo, principalmente em áreas mais ricas da cidade, fazendo com que a prática virasse um movimento de protesto contra o sistema, contra a burguesia e tudo que limita qualquer tipo de expressão. Poucos anos após essa ordem ser revogada o skate ganhou visibilidade, quebrou paradigmas e chegou ao pódio das olímpiadas.

Caiçara da Baixada Santista Kelvin trocou o Surf e o Futebol pelo Skate, logo cedo, aos 13 anos já ganhava prêmios, já foi campeão do X Games e da SLS . Nas olímpiadas teve uma disputa difícil na categoria street, mas com ótimo desempenho, o resultado de 34.69 pontos na bateria garantiu e uma medalha de prata ao atleta, dividindo o pódio com Yuto Horigome (Ouro) e Jagger Eaton (Bronze). Um dos skatistas favoritos, Nyjah Huston, que já ganhou 7 vezes o X Games e maior campeão do SLS (Street League Skateboarding) também foi superado pelo nosso skatista nas olímpiadas, o norte americano terminou na sétima colocação na bateria final.

Atualmente Kelvin é patrocinado por grandes marcas como a Monster, Gshock Brasil, Banco BV, além da Powell Peralta que é a marca do shape que ele levou nas olímpiadas e da QIX no qual já lançou seu segundo pro model.

Modalidade estreante na competição o skate street brasileiro contou com 6 atletas, 3 homens, Kevin Hoefler, Giovanni Vianna e Felipe Gustavo e 3 garotas, Leticia Bufoni, Pamela Rosa e Rayssa Leal. O Time Street da CBSK (Confederação Brasileira de Skate) tem como treinador Roger Mancha, 45 anos, velho conhecido da galera do skate.

Infelizmente os skatistas Felipe Gustavo e Giovanni Vianna não alcançaram notas suficientes em suas baterias para avançarem a final, coube mesmo ao skatista brasileiro melhor colocado no ranking mundial até as olimpíadas ( 4ª posição) realizar o sonho de colocar uma medalha olímpica no peito, grande feito para Kelvin, para o Brasil e para o skate. Parabéns Kelvin, GO SKATE!